DINÂMICA DA ÁGUA SUBSUPERFICIAL EM UMA CABECEIRA DE DRENAGEM DO RIO DUAS BOCAS (RESERVA BIOLÓGICA DE DUAS BOCAS - ES)

Nome: Ialy Gomes Ferreira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 13/09/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Eberval Marchioro Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
ANDRÉ LUIZ LOPES DE FARIA Examinador Externo
Andre Luiz Nascentes Coelho Examinador Interno
Eberval Marchioro Orientador
Pablo de Azevedo Rocha Examinador Externo

Resumo: A variabilidade da água no interior dos solos de uma vertente remete-se como um tema importante na atualidade, pois contribui para a recarga de água dos sistemas hídricos, principalmente aqueles associados a cabeceiras fluviais. Em função disso, este trabalho analisou a dinâmica da água subsuperficial em uma cabeceira de drenagem tipo anfiteatro, sob cobertura vegetal de Mata Atlântica da Reserva Biológica de Duas Bocas (ES) (REBIO). Para desenvolver o estudo foi utilizado o Sensor de Matriz Granular (GMS#watermark), além de outros equipamentos já instalados em campo. Foram abertos perfis de solo na porção alta, média e baixa das duas vertentes, descritos pelo levantamento topográfico convencional, de modo a orientar os locais de instalação dos sensores e avaliar as propriedades físicas e hídricas da cabeceira de drenagem. Tal verificação permitiu indicar a qual profundidade tais sensores poderiam atuar, correlacionados com a espessura dos horizontes ao longo dos perfis das encostas. Posteriormente, esses dados foram analisados intra vertentes e entre vertentes, para avaliar como ocorreria a variabilidade da água subsuperficial ao longo da cabeceira de drenagem. Os resultados encontrados demonstram a eficiência dos sensores em monitorar o fluxo permanente de água subsuperficial, em um relevo côncavo, em solos em sua totalidade arenosos. Demonstrando que a tecnologia aliada à busca por informações referentes ao comportamento da água subsuperficial no solo é de suma importância para conhecer os processos de recarga de águas subterrâneas e, consequentemente, possibilitar a implantação de práticas de conservação nas bacias hidrográficas, evidenciadas no cenário nacional pela crise hídrica de proporções significativas e que afetam desde a agricultura até o abastecimento às populações urbanas inteiras.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910