Desenvolvimento dos municípios do Espírito Santo:
uma visão ampliada

Nome: Tiago Dalapicola
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 29/11/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Aurélia Hermínia Castiglioni Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aurélia Hermínia Castiglioni Orientador
Eliana Zandonade Examinador Externo
Gisele Girardi Examinador Interno
LUIZ EDUARDO DE VASCONCELOS ROCHA Examinador Externo
Pablo Silva Lira Examinador Externo

Resumo: A tese discute a necessidade da criação de um novo índice de mensuração do ‘desenvolvimento’, mais antenado ao mundo atual, passando neste caminho por uma problematização das múltiplas acepções do termo. Discorre sobre as limitações do Índice de Desenvolvimento Humano, adotado no início dos anos 1990, para os tempos atuais, para então sugerir sua revisão com a agregação de três novas dimensões – uma que denota a sensação de ‘Segurança’ (composta pelas variáveis homicídios e óbitos por acidentes de trânsito), outra a ‘Situação da Mulher’ (na qual se analisam a inserção das mulheres no mercado de trabalho, a diferença de rendimentos em relação aos homens e a diferença de contribuição para institutos de previdência oficial) e por fim uma que demonstra a ‘Estrutura Demográfica’ (composta por taxa de fecundidade total, razão de dependência total e taxa de mortalidade infantil). A hipótese da qual se parte, analisando o caso dos 78 municípios capixabas, é que o ranqueamento proposto pelo IDHM negligencia outras facetas da condição do desenvolvimento, o qual o IDHM já não é mais capaz de traduzir de forma plena. Após a descrição das variáveis componentes das dimensões foi testada a criação de um índice de desenvolvimento ampliado. Os resultados obtidos demonstraram que a agregação das três dimensões propostas muda a forma como visualizamos o desenvolvimento dos municípios capixabas. Um novo e diferente ranking foi produzido, visto que as modificações aportadas nas posições dos municípios refletiram o maior poder das variáveis e dimensões escolhidas para demonstrar as diferenças espaciais em termos de desenvolvimento. A dimensão ‘Estrutura Demográfica’ foi a que mais contribuiu para uma melhora das posições dos municípios no novo índice criado, seguida pela dimensão ‘Segurança’. Já a dimensão ‘Situação da Mulher’ trouxe decréscimo na pontuação obtida pela maioria dos municípios. A tese foi finalizada com apontamentos para possíveis políticas públicas, bem como se discute a necessidade de equilibrar o desenvolvimento espacial e o desenvolvimento focado no indivíduo.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910