VULNERABILIDADE DA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DE
CONCEIÇÃO DA BARRA (ES): CONTRIBUIÇÕES PARA O
ZONEAMENTO AMBIENTAL E COSTEIRO INTEGRADO

Nome: Carlos Alberto Kuster Pinheiro
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 27/03/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Andre Luiz Nascentes Coelho Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
André Luís Demuner Ramos Examinador Externo
Andre Luiz Nascentes Coelho Orientador
Antonio Celso de Oliveira Goulart Examinador Externo
Cláudia Câmara do Vale Examinador Interno
Sirius Oliveira Souza Examinador Externo

Resumo: A leitura da vulnerabilidade sob a ótica integradora permite uma análise sobre as alterações
da Área de Proteção Ambiental (APA) de Conceição da Barra, na costa norte do estado do
Espírito Santo (Brasil) perante as diversas pressões exercidas sobre ela. O conhecimento
acerca dessas questões é pertinente ao planejamento ambiental da paisagem, pois possibilita
identificar locais onde essas pressões têm potencial para causar maior degradação as
paisagens. Nesse contexto, a presente pesquisa teve como objetivo principal avaliar as
vulnerabilidades da APA de Conceição da Barra, com uso de geotecnologias como Sistema
de Informações Geográficas e Sensoriamento Remoto e a validação em campo para
proposição de zoneamento ambiental integrado ao zoneamento costeiro, em escala de
1:45.000. A filiação teórica desta pesquisa vai ao encontro da visão de sistemas, concepção
difundida tanto na geografia como em outros campos do conhecimento. Em pesquisas que
envolvem levantamentos pertinentes à vulnerabilidade costeira, é comum que os dados sejam
provenientes de vários eventos meteorológicos e oceanográficos. Optou-se pela realização
de um único evento. Tal metodologia apropriou-se de variáveis para o Índice de
Vulnerabilidade Costeira tornando-o possível e compatível a este olhar integrador ainda que
sobre a ótica deste único evento. Os resultados indicam que a rodovia ES-010 corta áreas
com alta vulnerabilidade ambiental e costeira. As praias, os manguezais, os brejos, a mata
paludosa, parte das restingas, os córregos e as margens do rio São Mateus no interior desta
unidade de conservação foram classificados como vulneráveis. Mais de 50% da área total da
APA se enquadra como alta e altíssima prioridade de conservação. A pretensão desta
pesquisa é servir de auxílio as possíveis ações e novos estudos que ofereçam um melhor
ordenamento das Áreas de Proteção Ambiental situadas em planícies costeiras.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910